"O Mestre na arte da vida faz pouca distinção entre o seu trabalho e o seu lazer, entre a sua mente e o seu corpo, entre a sua educação e a sua recreação, entre o seu amor e a sua religião. Ele dificilmente sabe distinguir um corpo do outro. Ele simplesmente persegue sua visão de excelência em tudo que faz, deixando para os outros a decisão de saber se está trabalhando ou se divertindo. Ele acha que está sempre fazendo as duas coisas simultaneamente". (Texto budista)

terça-feira, 10 de maio de 2011

Divagações de uma Professora...


Queridos amigos e pessoal que acompanha esse espaço, venho compartilhar com vocês um presente lindo que recebi de uma amiga, em uma de minhas redes sociais. Tocou-me a alma profundamente, pois em meu trabalho diário, muitas vezes não percebo e não me dou conta da grandiosidade e do alcance do mesmo. Abracei a carreira de professora com todo o amor e carinho desse mundo. Semeio e rego todos os dias jovens e crianças, preparando-os para transformar esse mundo...

E nessa correria atrelada do tempo-ação não me dou conta de quantas pessoas estão vibrando nessa sintonia. De quantas pessoas estão acompanhando todo esse processo. Não trabalho com máquinas, com coisas, com seres inanimados, ao contrário: LIDO COM GENTE... COM PESSOAS... COM SERES... COM DIVINDADES...

Essa homenagem da querida Larrívia, levou-me a fazer uma reflexão pedagógica e uma reflexão humana: QUE BOM QUE ESCOLHI ESSA PROFISSÃO!!!

Sinto-me extremamente feliz e realizada. E venho humildemente, agradecer aos amigos e as pessoas que acompanham uma trajetória de 13 anos que iniciou num Centro de Educação Infantil. Passou pela EJA (Educação de Jovens e Adultos) desde o Primeiro Segmento (primeira a quarta série) até o segundo segmento (quinta a oitava série). Ainda galgou o SESI Educação – Educação do Trabalhador (todas as disciplinas do ensino médio, aff... a física me desafiou... rsrsrsrsrs). Algum tempinho também, realizando serviços de secretaria e biblioteca. Percorreu todas as séries iniciais do ensino fundamental. E também, a disciplina, que ano que vem, me graduo: Geografia!

Relembrar essa história me faz acreditar cada vez no grande potencial humano que envolve o trabalho de um professor. Recordo-me de cada lugarzinho que pisei... de cada sala de aula, de cada espaço que foi meu e de olhos sedentos por aprender. Mal sabiam que, aprendi muito mais com eles e aprendo todos os dias.

Um lindo filme passa na cabeça... aulas no interior... trabalhar sessenta horas (sim! já fiz essa loucuraaaaaa... rsrsrsrsrs) Acordar durante dois anos, quatro e meia para dar aula em outras cidades... Aff, é muita história para lembrar e compartilhar, que seria capaz de passar um dia e uma noite escrevendo para relatar... E ao final de tudo isso, ver que valeu e que VALE A PENA...

Quem me conhece sabe que sou APAIXONADAAAAA pelo que faço e que todos os dias não acordo para trabalhar: acordo para divertir-me, aprender e plantar sementes do amanhã!

GRATIDÃO ETERNA A TODOS QUE ME INCENTIVAM E VIBRAM COMIGO NESSA VIBE MAJESTOSA E DIVINA QUE É A PROFISSÃO DE PROFESSOR, DE EDUCADOR... Se eu passar, digamos, mais 200 anos fazendo isso, serão mais 200 anos de completo estado de felicidade...

Larrívia, minha querida... obrigada pelo vídeo, obrigada por trazer à tona tantas recordações significativas para mim.

Compartilho com vocês o vídeo, deixando um beijo no coração de cada um.

Paz, sempre Paz...

Prof. Jeana Andréa

"O Mestre na arte da vida faz pouca distinção entre o seu trabalho e o seu lazer, entre a sua mente e o seu corpo, entre a sua educação e a sua recreação, entre o seu amor e a sua religião. Ele dificilmente sabe distinguir um corpo do outro. Ele simplesmente persegue sua visão de excelência em tudo que faz, deixando para os outros a decisão de saber se está trabalhando ou se divertindo. Ele acha que está sempre fazendo as duas coisas simultaneamente".
(Texto budista)