"O Mestre na arte da vida faz pouca distinção entre o seu trabalho e o seu lazer, entre a sua mente e o seu corpo, entre a sua educação e a sua recreação, entre o seu amor e a sua religião. Ele dificilmente sabe distinguir um corpo do outro. Ele simplesmente persegue sua visão de excelência em tudo que faz, deixando para os outros a decisão de saber se está trabalhando ou se divertindo. Ele acha que está sempre fazendo as duas coisas simultaneamente". (Texto budista)

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Lapidando Diamantes - Construindo Pontes


 ‘Para mim as ideias são sementes. O maior favor que se faz a uma semente é enterrá-la.' (Augusto Cury)


Olá queridos amigos...
Hoje, quando comemoramos o dia do Professor (15/10) venho compartilhar com vocês, uma parábola que recebi por email da queridíssima Vivian Weirych, autora do livro: Universo em Você – Um Pacto Sempre Perfeito.

Todos nós professores, sabemos dos inúmeros desafios de nossa profissão que, prefiro humildemente chamar de ‘devoção’.

Incompreensão, rebeldia, desgaste, incontáveis horas corrigindo provas, trabalhos... Falta de material, o governo não corresponde às nossas expectativas, o sistema nos cobra um trabalho burocrático e estressante, enfim são inúmeras as situações que nos desafiam todos os dias. Mas, vejam só: ao primeiro sinal de sucesso, nos sentimos como verdadeiros ‘deuses’ e nos compensamos de todos os sacrifícios e esforços. E sabem por quê? Porque somos responsáveis pelo que acontece nesse mundo. Somos Guerreiros da Luz. Pois com a força de nosso amor, de nossa vontade, podemos mudar o nosso destino e o destino de muita gente. Enquanto a técnica constrói máquinas, a tecnologia desenvolve inventos espaciais, nós Professores num trabalho anônimo, paciente e incessante, desenvolvemos a personalidade, estruturamos o Ser Humano.
A parábola que segue nos traz uma reflexão sobre isso.

O Diamante


O Hindu chegou aos arredores de certa aldeia e aí se sentou para dormir debaixo de uma árvore. Chega correndo, então, um habitante daquela aldeia e diz, quase sem fôlego:

- Aquela pedra! Eu quero aquela pedra.

- Mas que pedra? - pergunta-lhe o Hindu.

- Ontem à noite, eu vi meu Senhor Shiva e, num sonho, ele disse que eu viesse aos arredores da cidade, ao pôr-do-sol; aí devia estar o Hindu que me daria uma pedra muito grande e preciosa que me faria rico para sempre. 

Então, o Hindu mexeu na sua trouxa e tirou a pedra e foi dizendo: 

-  Provavelmente é desta que ele lhe falou; encontrei-a numa trilha da floresta, alguns dias atrás; podes levá-la!

E assim falando, ofereceu-lhe a pedra. O homem olhou maravilhado para a pedra. Era um diamante e, talvez, o maior jamais visto no mundo. Pegou, pois, o diamante e foi-se embora. Mas, quando veio a noite, ele virava de um lado para o outro em sua cama sem conseguir dormir. Então, rompendo o dia, foi ver novamente o Hindu e o despertou dizendo:

- Eu quero que me dê essa riqueza que lhe tornou possível desfazer-se de um diamante tão grande assim tão facilmente!

Depois dessa parábola, não sobra muito que comentar, pois ela fala por si só.
Somos professores por diploma e estudo, mas a cima disso, somos lapidadores de diamantes todos os dias, podemos transformar os seres que nos cercam em melhores ou piores (e já comentei sobre o assunto aqui). Está em nossas mãos todos os dias, fazer com os jovens e crianças se tornem seres humanos com discernimento para assumir responsabilidades que favoreçam todo o âmbito global e planetário.
Somos semeadores de esperança... de sonhos... de alegria e irreverência... Tornamo-nos meio pai, mãe e às vezes somos chamados erroneamente de vó... tia... rs.
Como bem nos mostra a parábola do Diamante, não moldados os alunos prontos, acabados. Ao contrário, temos a sutil missão de leva-los a descobrir-lhes os seus tesouros. Tal como o Grande Arquiteto da Existência nos mostra na passagem dos pescadores, não dar-lhes o ‘peixe’ pronto, antes ensinar-lhes a pescar. Apontar caminhos, mas deixar que os alunos caminhem com seus próprios pés...

Ser professor nesse mundo agitado e controverso é um Grande Desafio, mas uma dádiva sem precedentes...

Ser firme, rígido, disciplinar, firme, mantendo, contudo, a bondade, a gentileza, a ciência e o valor da intuição, a compreensão do certo e do errado, a ética.
Penso que se há uma criatura que tenha necessidade de formar e manter constantemente firme uma personalidade segura e complexa, essa somos nós: os Professores.
É, certamente uma grande obra, chegar a consolidar-se numa personalidade assim: Ser ao mesmo tempo um resultado –como logicamente, todos somos – da época, do meio, da família, com características próprias, energéticas, pessoais, e poder ser o que é cada aluno (formidável isso... ueba!!!), descer a sua alma, feita de inúmeras complexidades, também, para se pôr em contato com ela, e estimular-lhe o poder vital e a capacidade de Evolução.
É ter o coração para emocionar-se diante de cada temperamento e imaginação para sugerir
Ser professor dentro desse contexto é ter conhecimentos para enriquecer os caminhos transitados e saber ir e vir em redor desse mistério fascinante e apaixonante que existe em cada criatura, sempre lhes possibilitando ferramentas luminosas para definir-se, manifestar-se, força para erguer-se sem vacilações nem perigos.
Ahh, ser professor é ser poeta para inspirar... Na voz do cantor as verdades revelam-se, como lições de vida e de felicidade. Na letra do poeta revelam-se os grandes ensinamentos.
Nós professores precisamos ser poetas, para inspirar. Quando essa ‘garotada’ achar um rumo para suas vidas, levarão consigo, no mais íntimo do peito, o exemplo guardado que lhes há de servir de ideal.

 

‘A maior glória de um professor é sentir que os seus alunos tornaram-se grandes homens.’ ( Erasmo Shallkytton )


Acredito que seja hora de parar com minhas divagações de professora apaixonada por aqui, senão acabo escrevendo um livro... rsrs.

Quando criei esse blog (sem entender ‘nadica de nada’) a intenção era justamente essa – a de divagar... apenas divagar...

Ser professora me realiza quase que por inteira, pois sou apaixonadaaaa pela educação, pelos alunos, pela mudança que podemos ocasionar, pelo eco que nossos ensinamentos podem causar...

Dar vida a tantos que entram em nossa vida, e neles deixar sinais, marcas, certezas...
De Sonhos, Paz, Luz, Esperança...
De Ser, Fazer,Ter...
De Construção, Otimismo, Perseverança, Coragem, Força, Persistência...
De Luta e Garra...
De Dinamismo, Crescimento, Conquista, Ação, União...
De Partilha, Doação, Ajuda,  Cuidado...
De perdão, Compreensão...
De Sorriso, Amor...
De Atenção, Delicadeza, Pureza...
De Fé, Deus...
Enfim, sinais, marcas, certezas de Vida para a Vida...

O Professor faz o Aluno Germinar, Brotar, Crescer...
E transforma-o em Cidadão completo, inteiro, maduro, Vivo!
E ele contigo move e remove!
Monta e remonta!
Reflete, aprende e ensina!
O dois, juntos, lado a lado constroem o conhecimento e desenvolvem a inteligência.
Fazem a História da Humanidade DINAMIZANDO E TRANSFORMANDO O MUNDO...
São os dois verdadeiros ARTESÃOS DA CRIAÇÃO...

Aos colegas e amigos professores, brindo junto e desejo do fundo de minha’lma, que é apaixonada por essa missão que muito tem de divino, um FELIZ DIA DO PROFESSOR. Aos amigos incentivadores do ofício de ensinar, ofereço sempre o meu carinho e apreço. E aos ALUNOS, razão desse meu bem viver, a minha eterna GRATIDÃO, por abrilhantarem essa esfera terrena com suas inquietações, rebeldias, inconstâncias, irreverência, paixão e sagacidade pela vida.

Deixo abaixo alguns vídeos que encontrei e que tocaram a alma dessa humilde Professora.






BjOo grande, lindo dia... linda vida sempre.

Paz... Sempre Paz aos corações de boa vontade.
Profª Jeana Andréa



‘Não me curvaria diante dos famosos nem dos grandes lideres desse sistema, mas curvo-me diante dos educadores.’ (AugustoCury)